Exercício Físico no controle do Peso Corporal

Há algum tempo atrás, a criança e/ou adulto que estivesse obeso ou com excesso de gordura corporal eram vistos como pessoas saudáveis e com ausência de doenças. Com o passar dos anos, o excesso de peso foi aumentando cada vez mais, e, hoje, é considerado como o principal problema de saúde pública no Brasil e no mundo.

Tabela: Prevalência de sobrepeso e obesidade na população com 20 ou mais anos de idade, por sexo e por regiões no período 2002-2003.


A quantidade de gordura que ultrapassa 25% do peso corporal para os homens e 32% para as mulheres determina o início da obesidade.

Vários fatores que associam-se com o aumento da população obesa ou com excesso de peso, tais como características genéticas ( disfunção da ação da insulina, leptina, neuropeptídio Y e grelina, por exemplo), sedentarismo imposto pela tecnologia ou profissão, lazer inativo e má alimentação.

A obesidade está associada à diversas condições e doenças, como mostram os tópicos a seguir:

- Cardiovascular: insuficiência cardíaca congestiva; Coração ampliado; Cor pulmonale (alteração na estrutura e função do ventrículo direito do coração como resultado de um distúrbio respiratório); varizes; embolia pulmonar.

- Respiratório: Dispinéia; apnéia obstrutiva do sono; síndrome de hipoventilação; asma.

- Endócrino: Síndrome do Ovário Policístico (SOP) ; irregularidade menstrual, hipercotisolismo, infertilidade.

- Gastrointestinal: Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE); Doença hepática gordurosa; Colelitíase (cálculos biliares); Hérnia; Câncer colorretal.
 
- Metabólico: Dislipidemia; diabetes mellitus 2, resistência à insulina.

- Pele: Dermatites por sudorese; micoses; linfodemas e celulite; estrias.

- Psicológico: Depressão; auto-estima baixa; transtorno dismórfico Corporal; estigmatização social

Neste caso, o que fazer para solucionar ou reduzir em partes tais problemas?

É necessário, então, que haja uma estratégia para o  controle alimentar aliado à prática regular de exercícios físicos.

E qual o tipo de exercício é melhor para este controle?

A melhor maneira para garantir um emagrecimento sadio e eficiente, além da reeducação alimentar, é a combinação de atividades aeróbicas e anaeróbicas.

Evidências científicas sugerem que a combinação da modificação da dieta com o exercício físico é o procedimento mais efetivo para obter a perda de peso, e a continuidade da prática de exercícios pode ser um dos melhores requisitos para a conservação do peso corporal em longo prazo.

Porque não o Treino de Força? O treino de Força é reconhecido como uma boa forma de se obter uma diminuição da % da gordura corporal  e um aumento da massa isenta de gordura. O próprio Colégio Americano de Medicina Desportiva (ACSM) recomenda a utilização do Treino de Força na prevenção e tratamento da Obesidade.

Por tudo isso, considera-se adequado e prudente as recomendações com relação à quantidade diária mínima de exercícios do ACSM 2000, que são:

Freqüência de Treinamento: 3 a 5 vezes por semana.

Intensidade de Treinamento: 60 a 90% da Fcmax ou 50 a 85% do VO2 max. ou da FCmax de reserva.

Duração: 20 a 60 minutos de atividade contínua dependendo da intensidade.

Tipo de atividade: Qualquer atividade que utilize grandes grupos musculares que seja mantida constante, rítmica e aeróbica por natureza.

Treinamento de resistência para manter a massa muscular: 8 a 10 exercícios envolvendo os principais grupos musculares trabalhados em séries de 8 a 12 repetições, pelo menos 2 vezes por semana.

Observação: são necessárias avaliações física e clínica para possibilitar uma prescrição o mais eficaz possível.

*Procurem por profissionais de Educação Física e Nutrição*

Fonte: Profª. Joziane Teixeira



Tags: