Hepatite: o que você precisa saber

28 de julho foi estabelecido, desde 2010, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como Dia Mundial de Luta contra à Hepatite. O objetivo é promover a conscientização nas pessoas das hepatites, das doenças que causam e a disseminação do conhecimento sobre a enfermidade. 

A data é celebrada a fim de proporcionar uma oportunidade para sensibilizar e gerar uma maior compreensão em relação à hepatite, como um problema global de saúde pública, além de incentivar o reforço nas medidas de prevenção e controle em relação à morbidade e mortalidade em todos os países.


A hepatite é toda e qualquer inflamação do fígado e que pode resultar desde uma simples alteração laboratorial (portador crônico que descobre por acaso a sorologia positiva), até doença fulminante e fatal (mais frequente nas formas agudas).


Prevenção


Existem várias medidas que podem evitar a transmissão das hepatites virais: 
Usar preservativo em todas as relações sexuais; 
Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings; 
Não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure; 
Não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas; 
Não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.


Existem várias causas de hepatite, sendo as mais conhecidas as causadas por vírus (vírus das hepatite A, B, C, D, E, F, G, citomegalovírus, etc). Outras causas: drogas (anti-inflamatórios, anti-convulsivantes, sulfas, derivados imidazólicos, hormônios tireoidianos, anti-concepcionais, etc), distúrbios metabólicos (doença de Wilson, poli-transfundidos, hemossiderose, hemocromatose, etc), trans-infecciosa, pós-choque. Em comum, todas as hepatites têm algum grau de destruição das células hepáticas.


A maioria das hepatites agudas são assintomáticas ou levam a sintomas incaracterísticos como febre, mal-estar, desânimo e dores musculares. Hepatites mais severas podem levar a sintomas mais específicos, sendo o sinal mais chamativo a icterícia, conhecida popularmente no Brasil por "tiriça" ou "amarelão" e que caracteriza-se pela coloração amarelo-dourada da pele e conjuntivas. Associado pode ocorrer urina cor de coca-cola (colúria) e fezes claras, tipo massa de vidraceiro (acolia fecal). Hepatites mais graves podem cursar com insuficiência hepática e culminar com a encefalopatia hepática e óbito. Hepatites crônicas (com duração superior a 6 meses), geralmente são assintomáticas e podem progredir para cirrose.


O importante é sempre, diante de algum sintoma, procurar um médico para receber orientação da realização de exames e tratamento adequado.



Tags: